Referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia em 2016

No dia 23 de Junho de 2016 os cidadãos do Reino Unido votaram num referendo para determinar a sua permanência ou a saída da União Europeia.

Este ato eleitoral ficou também conhecido como Brexit.

Os britânicos votaram em massa com mais de 70% dos votantes registados a irem às urnas.

Noticias sobre o Brexit nos dias seguintes à votação;

Realização de um novo referendo

27/junho/2016

David Cameron,no seu primeiro discurso no parlamento após o referendo,afirmou que não haverá nova votação e que caberá ao Reino Unido decidir qual será os seu relacionamento futuro com a União Europeia.

A possibilidade da realização de um novo referendo começou a circular depois de uma petição ter atingido números record de assinaturas a pedir que fosse realizada uma nova votação.

A grande maioria dos políticos não concordam com esta hipótese.

A Escócia irá fazer tudo para tentar realizar um referendo para ser independente do Reino Unido e manter-se na União Europeia.

Para já,a hipótese de um novo referendo sobre o Brexit está posta de parte.

Onda de abusos raciais em Londres

Começaram a ser registados pela policia de Londres,nos dias seguintes á votação,casos de abuso racial entre ingleses e imigrantes.

O Jornal The Independent foi o primeiro a publicar noticias relacionadas com casos de xenofobia após o resultado do referendo.

A BBC demorou mais tempo mas começou a publicar noticias relacionadas com casos de emigrantes serem alvos de racismo,particularmente nas ruas de Londres.

Emigrantes Portugueses

Para já,os emigrantes portugueses mantêm todos os seus direitos intactos dentro do Reino Unido.

Esta situação irá manter-se enquanto durar o processo de negociações entre o Reino Unido e a União Europeia.

O governo português recomenda que todos os portugueses que estejam em condições de tirar o passaporte britânico o façam já para evitar complicações no futuro.

O governo português recomenda também que todos aqueles que reúnam os requisitos mínimos,tirem o cartão de residência permanente no Reino Unido.

Uma em cada 5 empresas britânicas prevê transferência de actividades

No dia 27 de Junho,uma sondagem apontava para a possibilidade de que um em cada cinco executivos britânicos preverem a possibilidade de transferência de parte das respectivas actividades, ao passo que dois terços consideram que o Brexit é negativo para os seus negócios.

Ações do Barclays e do Royal Bank of Scotland suspensas

27 de Junho-Dois dos maiores bancos britânicos não conseguiram estancar a hemorragia de perdas nos mercados.

O limite de queda foi atingido e a bolsa de Londres viu-se na posição de ser obrigada a ativar o bloqueio das trocas destes dois bancos.

Consequências do resultado

As consequências do resultado do referendo começaram a ser sentidas logo na madrugada em que os resultados foram conhecidos.

Euro/Libra/Dólar

Na noite em que os votos começaram a ser contados a libra desceu em flecha nos mercados mundiais.

Na segunda feira seguinte,o Euro e a libra abriram a sessão em queda face ao dólar.

Pode seguir a cotação da Libra Esterlina nos mercados no Trading Economics.

Noticias sobre a Economia do Reino Unido relacionadas com o Brexit

27/Junho/2016

Standard & Poor’s e Fitch cortam rating do Reino Unido,a agência de notação de crédito Standard & Poor’s cortou o rating do Reino Unido em dois níveis, baixando o rating de AAA para AA.

Standard & Poor’s e Fitch cortam rating do Reino Unido

Bill Gates alerta que Reino Unido ficará “menos atraente” para futuros investimentos das empresas mundiais.

George Soros alerta os britânicos para a possibilidade de o Reino Unido e a Europa entrarem em recessão com particular incidência nos países com economias mais frágeis como é o caso de Portugal.

O populismo de Nigel Farage (UKIP)

O líder populista de extrema-direita ingês anunciou na madrugada quando foi terminada a contagem dos votos,que este seria marcado como “o dia da independência“do Reino Unido.

Apesar de Nigel Farage não fazer parte da liderança encarregue da campanha para sair da UE,ele foi o politico que desencadeou todo o processo pois o seu partido,UKIP,começou a ser bastante popular no Reino Unido durante a última década,o que levou David Cameron a prometer nas última campanha eleitoral que realizaria um referendo caso fosse eleito.

Demissão de David Cameron

Na manhã seguinte após os britânicos irem a votos,e confrontado com o resultado final,David Cameron anunciou que se demitia.

O primeiro ministro do Reino Unido irá manter-se no cargo durante mais alguns meses para permitir a eleição de um novo líder do partido conservador que ficará encarregue de organizar todo o processo de saída do país da União Europeia.

Escócia / Nicola Sturgeon

Nicola Sturgeon,a primeira ministra da Escócia,declarou no mesmo dia que pondera a possibilidade de realizar um novo referendo,desta vez para perguntar aos escoceses se querem ser independentes do Reino Unido.

No dia seguinte,a primeira ministra declarou publicamente a vontade de começar imediatamente negociações com a Europa tendo em vista a manutenção da Escócia na União Europeia.

No dia 26 de junho,entrevistada numa estação de televisão da Escócia,a primeira ministra deu a entender que,tendo a possibilidade,vetaria a execução do resultado do referendo por parte do governo do Reino Unido.

Apesar de não ter poder de veto,esta poderá ter sido uma declaração importante tendo em conta a possibilidade da realização de um referendo para a independência da Escócia.

Boris Johnson

Boris Johnson,do partido conservador,foi o líder da campanha vencedora.

Na manhã seguinte à votação,o politico foi vaiado por um grupo de protestantes quando saía de sua casa.

Numa primeira declaração,Boris Johnson não pareceu muito efusivo com o resultado e afirmou não ter pressa em começar o processo da saída do país da UE.

Afirmou também estar desapontado com a demissão de David Cameron.

Boris Johnson é o principal favorito a substituir David Cameron no número 10 de Downing Street.

Líderes Europeus

A chanceller alemã Agela Merkel anunciou que irá reunir com outros líderes europeus antes de ser tomada qualquer decisão.

A generalidade dos países europeus demonstram interesse em acelerar o processo da saída do Reino Unido da UE,o contrário do que é pretendido pelos britânicos.

Jeremy Corbyn

Jeremy Corbyn,o líder do partido Trabalhista enfrenta oposição interna,sendo criticado por não ter conseguido passar a mensagem de permanência aos eleitores.

Nas regiões onde tradicionalmente o eleitorado vota nos Trabalhistas,os eleitores votaram em massa a favor da saída.

Arrependimento

Muitos foram os casos de cidadãos britânicos que apareceram na comunicação social no dia seguinte demonstrando arrependimento por terem votado pela saída.

A grande maioria das pessoas entrevistadas afirmaram que votaram contra mas pensavam que o resultado final seria diferente e que alterariam o seu voto se fosse realizada uma nova votação.

Resultados Finais do Referendo (Brexit)

O resultado do referendo favoreceu os proponentes da saída do Reino Unido da União Europeia.

Apesar do resultado,a saída não será pacifica pois a Escócia,a Irlanda do Norte e a cidade de Londres votaram claramente na manutenção do Reino Unido na União Europeia.

Referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (2016)
EscolhaVotos %
Saída17.410.74251,89%
Permanência16.141.24148,11%
Votos Válidos33.551.98399,92%
Anulados ou brancos26.0330.08%
Total de votos33.578.016100.00
Eleitores registrados e comparecimento (%)46.499.53772,21%

Resultados do Referendo por idade

Azul-Sair / Amarelo-Permanecer

idade referendo Reino unidoEste resultado mostra uma sociedade com gerações divididas pois os mais jovens votaram para permanecer ao passo que as gerações mais velhas votaram na saída.

Resultado do Refendo por região

RegiãoComparecimentoVotosProporção
PermanecerSairPermanecerSair
Inglaterra (com Gibraltar)73,0%13.266.99615.188.40646,6%53,4%
Leste da Inglaterra75,7%1.448.6161.880.36743,5%56,5%
Londres69,7%2.263.5191.513.23259,9%40,1%
Midlands Ocidentais72,0%1.207.1751.755.68740,74%59,26%
Midlands Orientais74,2%1.033.0361.475.47941,2%58,8%
Nordeste da Inglaterra69,3%562.595778.10342,0%58,0%
Noroeste da Inglaterra70,0%1.699.0201.966.62546,35%53,75%
Sudeste da Inglaterra76,8%2.391.7182.567.96548,2%51,8%
Sudoeste da Inglaterra e Gibraltar76,7%1.503.0191.669.71147,37%52,63%
Yorkshire e Humber70,7%1.158.2981.580.93742,29%57,71%
Escócia67,2%1.661.1911.018.32262.0%38.0%
Irlanda do Norte62,9%440.707349.44255,8%44,2%
País de Gales71,7%772.347854.37247,5%52,5%

Leia também;