Pagamento de IMI nas zonas históricas

Últimas informações sobre o pagamento do IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis -nas zonas históricas.

O IMI poderá ter que ser pago pela primeira vez nas zonas históricas de Portugal.

São cerca de 20 mil casas de norte a sul do país que costumam estar isentas deste imposto.

Se passarem a ser cobrados,os pagamentos do IMI nas zonas históricas poderão gerar uma receita de cerca de quatro milhões de euros para os cofres do Estado.

Ainda não é certo se, e quando se vai começar a ter que se pagar.

Pagamento de IMI nas zonas históricas

Veja como se está a desenrolar esta possibilidade.

  • O ministro das finanças,Mário Centeno, considera que a cobraça de IMI nas zonas históricas seria justa.
  • De acordo com o Diário de Noticias,o gabinete do ministro das Finanças esclareceu que os proprietários de prédios situados nas zonas históricas têm mesmo de pagar IMI.
  • O ministério das Finanças autorizou os municípios a decidirem quais os imóveis que estão sujeitos ao imposto.

O que diz a lei sobre o pagamento do IMI nas zonas históricas

  • Até agora,os proprietários de prédios que se encontram situados em zonas classificadas como Património da Humanidade pela Unesco ,estavam isentos do pagamento do IMI.
  • Desde 2010 que estes proprietários têm recebido notificações para pagarem este imposto sobre os imóveis.
  • Até agora não tinha existido nenhuma confirmação oficial por parte dos responsáveis sobre se estes proprietários deveriam ou não fazer o pagamento do imposto.

Quantas propriedades existem nas zonas históricas

Neste momento existem cerca de 20 mil casas em todo o país situadas nestas zonas.

Qual a receita gerada se este imposto começar a ser pago
  • A receita estimada será na ordem dos quatro milhões de euros por ano.

Ainda não é 100% claro que este imposto deve começar já a ser pago.

Em breve deveremos ter acesso a mais esclarecimentos neste tópico.

Associação de Proteção do Património pede que seja cumprida a lei de isenção de IMI

A Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património fez um apelo ao Governo para que seja cumprida a lei, que isenta de IMI todos os imóveis localizados nos centros históricos classificados pela Unesco.