Despedimentos e redução de salários mais fáceis em Portugal

De acordo com um estudo realizado pelo BCE em conjunto com outros bancos centrais,ficou mais fácil para os empregadores portugueses despedir e baixar os salários dos trabalhadores.

Segundo o estudo,esta situação ficou mais fácil desde a entrada da Troika em Portugal,aquando do resgate financeiro ao país.

Estudo do BCE: Depois da troika ficou mais fácil despedir

O grande responsável por esta situação foi o programa de ajustamento da troika.

O que diz este estudo do BCE

Dados referentes ao período 2010/2013
Despedimentos

despedimento individual, é considerado pelas empresas um grande obstáculo ao ajustamento financeiro.

  • Um terço dos gestores de empresas portuguesas inquiridos,considerou que “o despedimento individual se tornou menos difícil ou muito menos difícil” entre os anos 2010 e 2013.

De acordo com a noticia do DN,em Portugal continua a ser mais fácil despedir os trabalhadores individualmente do que coletivamente.

As implicações legais para um despedimento coletivo encontram muitos  mais obstáculos e implicam maiores despesas para os empregadores.

Ajustamento dos Salários

Dinâmica Salarial (Wage Dynamics Network)

A Rede de Dinâmica Salarial (Wage Dynamics Network), é um um projeto de investigação realizada por vários economistas do BCE em conjunto com 25 bancos centrais nacionais dos países da União Europeia.

  • Pode-se ler neste estudo que ” as empresas que disseram ser menos difícil ajustar salários e/ou o nível de emprego ultrapassaram significativamente aquelas que referiram ser mais difícil)”.
  • O estudo indica que “são evidentes as alterações que facilitam às empresas suprimirem postos de trabalho e esmagarem salários”.
Como foi feito o ajustamento salarial nas empresas em Portugal durante este período;
  • O ajustamento foi assente no congelamento dos ordenados,uma vez que a legislação não permite reduções no valor dos ordenados.
  • Ao congelar os salários,as empresas estão efectivamente a reduzir os mesmos,devido aos efeitos da taxa de inflação.
Percentual das empresas em Portugal que congelaram os salários dos trabalhadores
  • 2010- 25%
  • 2013-perto de 40%

Fonte:Diário de Noticias