Azeite falsificado

Últimas informações e noticias sobre o comércio de azeite falsificado.

A Proteste Brasil encontrou azeite falsificado,alegadamente com origem portuguesa.

Mais de 50% dos azeites italianos no mercado daquele país são falsificados, de acordo com a polícia.

Nos Estados Unidos,a percentagem de azeite falsificado no mercado é ainda maior.

Azeite falsificado em 2016

Azeite falsificado de “origem portuguesa” comercializado no Brasil

A Proteste Brasil – Associação de Consumidores fez um teste a 19 marcas de azeite extra virgem comercializadas no Brasil.

Como resultado dos testes efectuados,descobriu-se que quatro das marcas são uma mistura de óleos refinados.

Três das quatro marcas falsificadas são, alegadamente,de origem portuguesa.

As três marcas de origem portuguesa que falharam os testes estando adulteradas ou que contêm informação errada no rótulo são as seguintes:

  • Beirão, Figueira da Foz e Tradição.

Duas das marcas são falsificações, e a terceira marca é de azeite virgem que é comercializado como sendo azeite extra virgem.

As 3 marcas falsificadas têm um rótulo que indica tratr-se de “azeite português“, sendo no entanto engarrafadas no Brasil e portando,de origem desconhecida.

Para todos os detalhes leia a fonte da noticia:TSF-Brasil compra azeite falsificado como sendo português.

Mais de 50% dos azeites italianos são falsificados

  • Cerca de metade das garrafas de azeite extravirgem comercializadas na Itália não correspondem aos parâmetros estabelecidos para aquele produto.
  • Nos Estados Unidos a percentagem é ainda maior e sobe para os 75 a 80 por cento.
  • Estes números foram divulgados por uma reportagem de investigação realizada pelo programa 60 minutos da cadeia norte-americana CBS.

Pode ver a reportagem em inglês no site da CBS. Veja a reportagem Don’t fall victim to olive oil fraud.

Para mais detalhes sobre esta reportagem em português,leia este artigo do Instituto do Azeite Brasileiro,Programa da TV americana sobre agromáfia e azeite gera polêmica na Itália.